19 de setembro de 2017


GAFANHÕES:

ESTÁ NA HORA DE DIZER BASTA A QUEM, DURANTE 4 ANOS, NÃO DEFENDEU A GAFANHA DA NAZARÉ!...

O PRESIDENTE DA JUNTA E O PRESIDENTE DA CÂMARA, PESE EMBORA SEREM FILHOS DA NOSSA TERRA, NUNCA A DEFENDERAM!... SEMPRE ESTIVERAM AO LADO DOS INIMIGOS DA GAFANHA…

BASTA LEMBRAR O CASO DO PETCOKE, O CASO DOS LIMITES DE FREGUESIA, O CASO DA NÃO ATUALIZAÇÃO DOS CADERNOS ELEITORAIS, O CASO DA REJEIÇÃO DA BANDEIRA E DO NOME DA GAFANHA, NAS FESTIVIDADES E ESPETÁCULOS.

ESTES SENHORES FORAM UNS AUTÊNTICOS VENDILHÕES DO TEMPLO QUE É A NOSSA GAFANHA DA NAZARÉ.

QUEM AMA A GAFANHA NÃO PODE COMPACTUAR COM QUEM NÃO A DEFENDE, COM QUEM NEGOCEIA EM PROVEITO DO SEU INTERESSE PARTIDÁRIO.

ESTÁ NA HORA DE DIZER BASTA E DAR A POSSIBILIDADE A OUTROS, QUE GOSTAM DA NOSSA TERRA, QUE PUGNAM POR ELA.

TEMOS ELEIÇÕES EM 1 DE OUTUBRO E NÓS TEMOS DE DEMONSTRAR O NOSSO DESCONTENTAMENTO.

BRIO GAFANHÕES, BRIO FILHOS DA GAFANHA, SEJA POR NASCIMENTO OU QUE A ADOTARAM PARA MORAR.

HÁ MAIS E BONS CANDIDATOS ÀS AUTÁRQUICAS!... ESCOLHAM QUEM JULGAM QUE VAI DEFENDER A GAFANHA, QUEM TENHA “ESPINHA VERTEBRAL”, QUE NÃO VERGUE A CERVIZ AOS PODEROSOS OU CEDA AOS INTERESSES PARTIDÁRIOS!...

É PRECISO “CORRER” COM QUEM TEM VENDIDO A GAFANHA…
BRIO GAFANHÕES, VAMOS CORRER COM OS VENDILHÕES… COM OS ATUAIS PRESIDENTES DA JUNTA E DA CÂMARA, DIA 1 DE OUTUBRO…


Humberto Rocha

10 de setembro de 2017


O ADMINISTRADOR DA EPA REUNIU COM A ADIG E A ANRGN






O ADMINISTRADOR DA EPA REUNIU COM A ADIG E A ANRGN

O Presidente e outros elementos da Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha -ADIG e da Associação Náutica e Recreativa da Gafanha da Nazaré -ANRGN, reuniram com o Administrador da Empresa de Pesca de Aveiro -EPA, Sr. José Taveira da Mota, no dia 28 de Julho de 2017.

Foram expostos os seguintes assuntos:

1.     Descarga de efluentes para a Ria
2.     Cheiro intenso na Marina
3.     Fuligem nos barcos e toldos
4.     Silo de restos de peixe – gaivotas e mau cheiro

Após a nossa exposição, solicitámos a melhor compreensão e um esforço no sentido de minorar os problemas que afligem a Marina e a Gafanha da Nazaré. 

Do Senhor José Taveira da Mota recebemos o compromisso de melhorar, dentro do possível, os parâmetros das descargas aéreas e dos efluentes para a Ria.

Anexámos fotos que demonstram a quantidade de fuligem que cai sobre os barcos e seus toldos, possivelmente devido a problemas dos queimadores e à pouca altura das chaminés. Foi-nos referido pelo Sr. José Taveira que tem havido problemas com as bombas de combustível, já tendo, recentemente, sido adquiridas várias.

Quanto aos esgotos para a Marina, informou que já foi tamponado o tubo de descarga, pelo que esse problema vai desaparecer. Solicitámos o maior empenho para que continue tapado permanentemente. Fomos informados que a EPA tem uma Estação de Tratamento, mas que tem havido problemas nas marés vivas, pela invasão de água salgada e consequente destruição dos microrganismos que degradam a matéria orgânica.

Quanto ao silo de restos de peixe, formulámos a opinião de que seria ótimo que estivesse aberto apenas o tempo estritamente necessário para a descarga para camions, diminuindo os odores e não atraindo tantas gaivotas. Sabemos quão difícil é acabar, totalmente, com cheiros numa fábrica de conservas, já em funcionamento há vários anos e com 300 trabalhadoras, mas pensamos que, com algum esforço, será possível reduzir esses maus odores.

Foi opinião dos elementos da ADIG e da ANRGN que este primeiro contacto foi frutífero, sendo o começo dum caminho que, esperamos, pode levar à melhoria das condições ambientais na Marina e, consequentemente, na Gafanha da Nazaré.


Humberto Rocha



ADIG VISITOU AS OBRAS DA BACIA DE 

CONTENÇÃO DE LIXIVIADOS E ETAR







O Presidente e mais 4 elementos da Direção da Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha -ADIG, foram recebidos, no dia 24 de Julho de 2017, pelos Engenheiros da Administração do Porto de Aveiro e da Cimpor, para apreciarem, no terreno, as obras da Bacia de Contenção de Lixiviados e a Estação de Tratamento.

O sistema de drenagem das águas lixiviantes, da zona onde é descarregado o Petcoke, é composto por 2 subsistemas absolutamente iguais e simétricos.

Uma valeta, coberta com uma grade, envolve a zona do petcoke e recolhe as escorrências de águas lixiviantes, que drenam para uma cisterna, que tem 2 bombas elevatórias. Nesta cisterna estão definidos 4 níveis de líquido. O nível mais baixo põe a 1.ª bomba a funcionar e, à medida que sobe, arranca a 2.ª. Se, excecionalmente, atinge o 4.º nível (75% da capacidade total deste depósito), o sistema dispara um alarme sonoro, que dá a indicação de haver problemas.

Estas águas contaminadas são bombeadas para 2 grandes tanques assentes no solo do Porto Comercial. Cada um deles está subdividido em dois, o 1.º faz a decantação das águas lixiviantes, passando para o 2.º a parte sobrenadante, mais limpa. Esta 2.ª divisória tem uma camada de areia que vai filtrar as águas, já anteriormente decantadas, que depois serão devolvidas à natureza.

É o finalizar dum processo que resultou na proteção das águas da Ria e em complemento às medidas já adotadas na movimentação do Petcoke, na melhoria da qualidade do ar ambiente. Agora é suficiente continuar a manter os métodos de carga e descarga já em uso.

É mais uma prova de que o diálogo pode, naturalmente, levar a resultados frutíferos, para bem das pessoas e da Natureza.

E não é com autarcas que tomam atitudes negativas, como aquelas que os Presidentes da Câmara e da Junta de Freguesia tomaram, que as nossas gentes vão melhorar a sua condição de vida.

Foi com o trabalho da nossa Associação e dos habitantes e do contributo da APA e da Cimpor, que a Gafanha da Nazaré passou a ter melhor meio ambiente e os gafanhões podem orgulhar-se de entregar aos seus filhos e netos uma Terra mais saudável.

HRocha


A GAFANHA PODE RESPIRAR FUNDO E A RIA 

ESTÁ MAIS LIMPA…

A BACIA DE CONTENÇÃO DE LIXIVIADOS E A 

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO, ESTÃO PRONTAS…


Estão finalizadas as obras da Bacia de Contenção de Lixiviados e a Estação de Tratamento, no Cais Comercial do Porto de Aveiro.
O sistema é formado por uma bacia de captação das águas, que envolve a zona do Petcoke, que escoa para depósitos, os quais drenam para dois tanques finais de sedimentação e tratamento dos efluentes.

É a última das obras reclamadas pela Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha, para reduzir ao mínimo as emissões de partículas do Petcoke sobre a Gafanha da Nazaré e povoações a sul.

Vem juntar-se às benfeitorias já anteriormente realizadas pela Cimpor e pela APA: A Barreira Eólica contra Ventos Dominantes, o Canhão de água vaporizada sobre a pilha de Petcoke na carga e descarga, navios de transporte mais pequenos e começo imediato da carga para camions cobertos, cuidados com as gruas, paragem da movimentação com ventos mais fortes e a Estação de Monitorização da Qualidade do Ar Ambiente.

É o culminar feliz dum sonho e dum direito dos gafanhões. Como diria António Gedeão: “Enquanto o homem sonha, o mundo pula e avança”…

É justo reconhecer a disponibilidade que a Administração da Cimpor e o atual Presidente da Administração do Porto de Aveiro sempre tiveram para dialogar connosco, por forma a "chegar a bom porto" na minimização dos problemas da poluição pelo Petcoke e Clinquer.

Agora é obrigatório continuar a seguir o procedimento já habitual no manuseamento dos referidos produtos, proporcionando à Gafanha da Nazaré e seus habitantes um ambiente mais saudável.

E agora apenas uma nota:

Não vale a pena o Senhor Presidente da Junta, nas Assembleias, dizer que a ADIG anda “a fazer ruído”. A ADIG não precisa fazer “ruído”!... A ADIG dialoga com as Empresas e com Organismos oficiais e mostra o resultado da sua persistência, na solução dos problemas que afligem a Gafanha da Nazaré e a nossa Região.

Não vale a pena pôr-se em “bicos de pés”, Senhor Presidente, porque nenhum habitante isento e esclarecido da Gafanha da Nazaré tem dúvidas de que lado o senhor estava e quem pugnou pela solução do problema do Petcoke.

O Presidente da ADIG, Humberto Rocha

3 de julho de 2017





MELHOR TARDE QUE NUNCA!...
SANEAMENTO DO FORTE DA BARRA E DO PORTO DE PESCA COSTEIRA… está em marcha!…

Já estão no terreno as obras de saneamento do Forte da Barra e do Porto de Pesca Costeira.

Obras absolutamente necessárias para a melhoria das condições em toda esta zona e com especial relevância para a limpeza das águas da Praia do Jardim de Oudinot.

E agora sim, acreditamos que tudo melhore e que a beneficiação da qualidade da água retire a praia do Oudinot, das 4 piores de Portugal!…

E não foi com a mensagem enganadora que a Câmara quis passar, contra todas as evidências e alertas da Entidades Oficiais, de que as águas tinham qualidade, que ficámos convencidos. A mentira tem perna curta, senhor Presidente da Câmara!...

Agora sim, acreditamos… acreditamos porque vai ser concretizado o Saneamento do Forte… mau grado a proverbial passividade expectante da Câmara e da Junta de Freguesia!...

Nas reuniões da ADIG com a APA sempre pugnámos pelo saneamento da Forte e na reunião de 19 de Abril 2017 recebemos do Senhor Eng. Braga da Cruz a certeza de que tinha sido adjudicado e que iria arrancar. Disso demos conta no nosso artigo “A ASSOCIAÇÃO NÁUTICA E RECREATIVA DA GAFANHA DA NAZARÉ reuniu com a ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE AVEIRO”.

Reconhecemos ter de ficar agradecidos ao Presidente da APA, Eng. Braga da Cruz, pela realização das obras de saneamento, não porque o Porto de Aveiro não tivesse obrigação de as fazer, mas porque teve a coragem de avançar, enquanto tantos outros administradores que aqui passaram, nunca o fizeram!


Humberto Rocha

14 de maio de 2017


SENHORES PRESIDENTES DA CÂMARA E DA JUNTA DE FREGUESIA… 
DEIXEM DE SER DESLEIXADOS!... 




Há tanto tempo que a Assembleia da República definiu os limites das Freguesias do Concelho de Ílhavo… Foi em 28 de Janeiro de 2013!...

Pois V. Ex.cias continuam desleixados, não colocando todas as placas de limites…

O que vale é que a ADIG dará sempre “uma mãozinha”, e lá vai colocando, uma atrás das outras, as placas que forem necessárias… E aí está, mais uma, altaneira e esclarecedora, na extrema da Gafanha da Nazaré (Barra) com a Gafanha da Encarnação (Costa Nova)…

Não está certo o que estão a fazer!... Deixarem a colocação da placa para os Presidentes que os vão substituir em Outubro, nas Eleições Autárquicas.

Não é correto deixarem o trabalho para os outros!... Lembrem-se que os vossos antepassados, por que eram pessoas honestas e trabalhadoras, sempre diziam: “Não deixem para amanhã o que devem fazer hoje”!... 

Outros tempos, sem “timings” castradores…


A ADIG


LIMPEZA DOS ESPAÇOS CIRCUNDANTES DA MARINA
DA GAFANHA DA NAZARÉ






LIMPEZA DOS ESPAÇOS CIRCUNDANTES DA MARINA
DA GAFANHA DA NAZARÉ

No espaço entre a Marina e o Caminho de ferro, junto do poste eléctrico, bem como toda a rua envolvente da bacia de estacionamento dos barcos na água, foi cortada a relva e limpo todo o espaço.

Apresenta um aspecto mais airoso, condizente com os pergaminhos duma Associação, com 20 anos a prestar apoio aos desportistas náuticos.

A Direcção da Associação Náutica solicitou à Junta de Freguesia a execução dos trabalhos, tendo sido realizados na semana passada. Esperamos, ainda, dar um arranjo nas zonas de asfalto que estão degradadas.

Também já foram pedidos orçamentos para a vigilância vídeo do parqueamento na água, bem como da fechadura eletrónica, por cartão e biometria, da mesma zona.

E mais importante ainda, no contacto com a Direcção de Serviços de Ambiente Marinho e Sustentabilidade, da Direcção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos, foi-nos comunicado que o processo de desassoreamento estará despachado em finais de Maio ou início de Junho, podendo depois avançar com a empreitada das dragagens.

Humberto Rocha

24 de abril de 2017






Cidade da GAFANHA DA NAZARÉ

Placa Comemorativa do 16º Aniversário


Aleluia!... Estamos no sábado de Pascoela e vai para os visitantes o desejo de Boas-vindas, da ADIG, na passagem do 16º aniversário da elevação da Gafanha da Nazaré a cidade.

A Gafanha é hospitaleira. As nossas belas praias esperam-vos. 
Obrigado pela visita e voltem sempre!...


A Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha -ADIG

18 de abril de 2017




VISITA PASCAL 2017 
Para ver o filme click aqui: https://youtu.be/owi-WI3VM6o

Na Gafanha da Nazaré, bem como nas freguesias limítrofes, no Domingo de Páscoa, cumpre-se, anualmente, a tradição, da Visita Pascal.


Vários grupos percorrem todas as ruas da Gafanha, levando a Cruz, precedida do alegre som da campainha e entrando em todas as casas que espalham ramos junto à porta de entrada, anunciando que os donos estão presentes.


Realizo este filme, para que as nossas tradições não se percam ou, pelo menos, mais tarde sejam recordadas e, também, para que os Gafanhões espalhados pelo mundo, sintam o cheirinho do alecrim espalhado pelo chão e o aroma dos folares cozidos no forno da lenha.


SANTAS PÁSCOAS cheias de bençãos para todos!

H Rocha

3 de abril de 2017






REUNIÃO da CAPITANIA com a ADIG

No dia 3 de Abril, a Direcção da ADIG –Associação para a Defesa dos Interesses da Gafanha- foi recebida pelo Senhor Comandante da Capitania do Porto de Aveiro, Capitão-de-fragata Carlos Alberto Isabel.

Após a apresentação de cumprimentos, foi explanado, pelo Presidente da Associação, o lema e os objectivos da ADIG, bem como os sucessos e dificuldades.

O Senhor Comandante, em contrapartida, deu conta das suas preocupações quanto à segurança das pessoas e bens numa zona tão extensa como a Ria de Aveiro, que se espraia de Cortegaça até à Lagoa de Mira e sobe o Vouga até Cacia. Qualquer coisa como um 45 km de comprimento e 70 de praias na Laguna, além do frequentadíssimo areal atlântico. Não esquece, evidentemente, o perigo latente das empresas sediadas no Terminal Químico.

E é nessa conformidade que aceita de bom grado os alertas que os habitantes e as associações da zona ribeirinha vão carreando para a Capitania, quando algo de anormal se passa e que estará disponível a colaboração dos agentes da autoridade.

Foi evidente a preocupação do Senhor Comandante quanto aos pescadores de zonas mais afastadas da Capitania, pondo em equação o estabelecimento de postos de atendimento locais, que poupem horas e gastos a esses profissionais.

Apenas referimos estas notas para dar ideia da conversa franca e aberta que o Senhor Comandante do Porto nos proporcionou e das suas reais preocupações de segurança das embarcações e dos perigos do Porto Químico.

Foi desta forma, num ambiente descontraído, que apresentámos alguns assuntos que afligem os que vivem da Ria ou a desfrutam:

     1.    Canal de Espinheiro – 2 montes de pedra, entre a margem norte e o meio do canal, que têm partido hélices dos motores
      2.   Canal do Boco ou Bacalhoeiro – formação, tipo “coral”, que tem aumentado, no lado sul da Ponte Gafanha – Aveiro, entre o meio do Canal e a margem nascente, que tem provocado acidentes
       3.  Canal de Ovar, com estacas delimitadoras caídas, depois da Pousada, sendo um perigo para a navegação
       4.   Canal de Mira – deficiente balizagem entre Ponte da Barra e Gafanha da  Vagueira
        5.   Canal do Boco ou Bacalhoeiro – sem balizagem do canal de navegação,  desde a Ponte da Cale-da-Vila até à Gafanha d’Aquém.

Recebemos do Comandante da Capitania Carlos Isabel a certeza de que, embora a sinalização dos canais secundários da Ria seja da responsabilidade de outras Entidades, Agência Portuguesa do Ambiente e SIMRIA, é uma das suas preocupações e, como tal, terá toda a sua atenção.


Humberto Rocha